,
10/12/2017 19h56

JERUSALÉM

Status final de Jerusalém será decidido por israelenses e palestinos, diz secretário de Estado dos EUA



Qualquer decisão final sobre o status de Jerusalém dependerá de negociações entre israelenses e palestinos, disse a jornalistas o secretário de Estado norte-americano, Rex Tillerson, nesta sexta-feira (8), em Paris.

"Em relação ao restante de Jerusalém o presidente [Donald Trump] não indicou nenhum status final para Jerusalém. Ele foi muito claro que o status final, incluindo as fronteiras, seria deixado para as duas partes negociarem e decidirem", afirmou.

Nesta quarta-feira (6), Donald Trump anunciou que autorizaria a transferência da embaixada dos EUA em Israel de Tel Aviv para Jerusalém. Na prática, a mudança significa reconhecer Jerusalém como capital de Israel - algo rejeitado por boa parte da comunidade internacional.

Jerusalém tem seu status em disputa desde a criação do Estado de Israel, quando a ONU propôs que a cidade ganhasse status especial. Os palestinos também reivindicam a cidade como capital de um futuro Estado.

O anúncio de Trump desencadeou protestos de muçulmanos em diversos países. O Hamas, grupo palestino que governa a Faixa de Gaza, anunciou o início do que seria uma nova Intifada.

Transferência em pelo menos dois anos

Tillerson, que está em Paris para conversas bilaterais com o ministro de Relações Exteriores francês, Jean-Yves Le Drian, disse que é improvável que a embaixada dos EUA seja transferida de Tel Aviv neste ano e "provavelmente não no próximo ano".

"Não é uma coisa que vai acontecer este ano, nem provavelmente o próximo ano, mas o presidente [Donald Trump] quer que avancemos de maneira muito concreta e resoluta", declarou após um encontro com o chanceler francês, Jean-Yves Le Drian, em Paris.

 

 

Fonte: G1